17 de nov de 2015

A maldição das capas

A ‘maldição' da capa do game do UFC derrubou mais uma lenda. Apenas um dia depois de ser anunciada como a capa da vez, Ronda Rousey acabou surpreendentemente nocauteada por Holly Holm.

Coincidência? Sim, mas não a primeira!

As últimas quatro capas do game tiveram um poder incrível de derrubar verdadeiras lendas.

Em 2010, Brock Lesnar estampou o jogo. Fenômeno de audiência por ser oriundo do WWE, ele acabou perdendo o cinturão dos pesos pesados no mesmo ano e deixando o UFC em 2011.

A capa seguinte foi de Anderson Silva, em 2012. Aqui, uma ressalva: Spider seguiu perfeito naquele ano, inclusive com uma vitória sobre o ‘inimigo' Chael Sonnen. Mas a maldição até pode tardar, mas não falha: em 2013, o brasileiro perdeu para Weidman, quebrou a perna na revanche e ficou um ano afastado. Na volta, até bateu Nick Diaz, mas acabou pego no doping.

Em 2014, foi a vez de Jon Jones estampar o jogo. No começo de 2015, ele até ganhou de Daniel Cormier, mas passou a viver um inferno astral. Foi pego pelo uso de cocaína, causou um acidente automobilístico, fugiu sem prestar socorro e acabou afastado pelo UFC, tendo o cinturão retirado.

Gustafsson dividiu aquela capa com Jones. Desde então, perdeu as duas lutas que fez, sendo a primeira uma eliminatória pelo título e a segunda valendo o cinturão de fato.

Pois é, a derrota de Ronda já não parece mais tão surpreendente, né?


Gizmodo