18 de nov de 2015

Alunos da rede municipal de Inhangapi estão sem merenda escolar

Alunos da rede municipal de ensino de Inhangapi, no nordeste do estado, estão sem merenda escolar. Em uma das unidades escolares, o problema já dura dois meses. Para ajudar as crianças de uma escola e contribuir com um aprendizado saudável, um agricultor doa parte da sua produção para que as refeições sejam garantidas.

Em uma sala de aula, crianças de 8 a 10 anos estudam animadas, mas a alegria dá lugar à tristeza por causa das panelas guardadas e da geladeira vazia. Essa é a realidade da Escola Municipal de Ensino Fundamental da vila Alto Patauateua, que está sem merenda escolar há dois meses.

Segundo o professor Ananias Lima, a falta de alimentação tem atrapalhado o rendimento dos alunos. "A gente sabe que a fome é aguda, a ponto deles ficarem estressados e pedirem para sair". Com a ajuda do agricultor Raimundo Uchôa, a situação melhora um pouco na instituição. A cada três dias, ele doa para a escola parte de sua produção agrícola para servir como merenda.

"A gente contiunua a estudar, a aprender, a ler, escrever. Tudo dá vontade quando a gente está com a barriga cheia", diz uma estudante. "É importante a criança vir para a escola e ter seu alimento né. Sem se alimentar, você não consegue. Já que eu tenho a fruta lá, para não estragar, manda para a escola e serve de alimentação", disse seu Raimundo.

Estudantes de outras escolas da rede municipal de ensino de Inhangapi não têm tanta sorte. A situação é tão grave que alunos de uma creche na sede do município, com idade entre 3 e 6 anos, estão sem merenda. Já os alunos a escola Orlando Marques Piedade são liberados 1h mais cedo diariamente por falta de merenda escolar.

A prefeitura de Inhangapi informou que ainda não há previsão de quando a distribuição de merenda será normalizada nas escolas do município. Segundo a administração municipal, os recursos do Governo Federal estão bloqueados por problemas na prestação de contas do Conselho Municipal da Merenda Escolar em 2014. A prefeitura diz ainda que estaria tentando comprar os alimentos com receita própria.

G1 Pará