Após bate-boca em plenário, PSD pede cassação de Jean Wyllys

O Partido Social Democrático (PSD) protocolou na quarta-feira um pedido de cassação do mandato do deputado Jean Wyllys (PSOL-RJ). O motivo apresentado pelo presidente do partido, o deputado Guilherme Campos, é uma discussão entre Wyllys e o deputado João Rodrigues (PSD-SC).

O episódio ocorreu no último dia 28, após Rodrigues subir à tribuna e chamar Wyllys de “escória” da política do país. Ele também ironizou a trajetória do parlamentar do PSOL e o acusou de ter chamado de bandidos os deputados favoráveis à revogação do Estatuto do Desarmamento.

Após as agressões, Wyllys pediu a palavra e rebateu as acusações, chamando Rodrigues de “fascista” e de “ladrão do dinheiro público”. O parlamentar aproveitou o momento e lembrou que Rodrigues foi flagrado em maio deste ano assistindo um vídeo pornô durante votação na Casa.

O bate-boca

João Rodrigues: “Posso até ser criticado pelas minhas posições, mas vindo do senhor é um elogio, porque um parlamentar que defende a liberação das drogas e o perdão para traficantes. Um parlamentar que defende que o adolescente pode trocar de sexo sem autorização dos pais. Isso não é deputado, é a escória da política deste país”.

“(...) o ex-BBB que disputou a primeira eleição com 13 mil votos. Chegou a esta Casa com a sua exposição naquele programa extremamente culto, que acrescenta demais na cultura dos brasileiros. Chegou e questionou o comportamento de cada parlamentar, chamando os parlamentares de bandidos".

Jean Wyllys: "Dizer que cheguei aqui com 3 mil votos é falta de informação. Cheguei aqui com mais de 145 mil votos. Primeira informação. A segunda informação: homens decentes não assistem a vídeo pornô em plena sessão plenária. Homens decentes não são condenados por improbidade administrativa por roubar dinheiro público, como o deputado foi”.

“Portanto, quem não tem moral para representar o povo brasileiro é ladrão. Eu vou dizer uma coisa: qualquer programa de televisão é mais decente do quem rouba dinheiro do povo na sua administração pública. Qualquer programa de televisão é mais decente que deputado em vez de honrar o voto e o dinheiro público fica usando a sessão plenária para assistir filme pornô”. 

“Ele e todos os fascistas desta Casa vão ter que me engolir. Eu sou homossexual assumido, sim, e se acostumem com isso. Vocês vão ter que lidar comigo, com minha inteligência e com a denúncia que eu vou fazer dos abusos de autoridade de vossas excelências, da maneira truculenta com que vocês querem agir dentro desta Câmara”. 

Exame

Postagens mais visitadas deste blog

Paola Carosella dá bronca polêmica em participante do MasterChef

Depois da comemoração, o que acontece com a taça da Copa do Mundo

Inhame o alimento é aliado das mulheres

Tive que fazer meu sequestrador se apaixonar por mim

Adrenalina e calma: modelo conta como escapou de mordida de tubarão

Brasileira leva filho a hospital e encontra marido morto ao voltar para casa