19 de nov de 2015

Justiça dá prazo de 24 horas para Samarco barrar lama

A Justiça Federal no Espírito Santo determinou que a mineradora Samarco adote, em 24 horas, medidas para impedir a chegada da lama das barragens rompidas em Mariana, Minas Gerais, ao litoral do estado. Por cada dia não cumprido de decisão, a mineradora será multada em R$ 10 milhões, segundo informações do G1.

A determinação foi dada a partir de ação do Ministério Público Federal (MPF) com base em cálculos do Ibama, que estimou que a lama chegará ao litoral do Espírito Santo nesta sexta-feira. O Serviço Geológico do Brasil, que monitora o avanço dos rejeitos das barragens da Samarco pelo Rio Doce, ainda não confirmou a previsão do Ibama.

O prazo para a Samarco passará a contar a partir da intimação recebida pela mineradora.

O Ministério Público Federal (MPF) pediu na ação que a Samarco apresente, em 24 horas, um plano de prevenção e contenção da lama, considerando as peculiaridades de cada área, como mangues e praias.

Agência O Globo