9 de nov de 2015

Manifestantes realizam ato público contra Eduardo Cunha em Belém


Cerca de 400 manifestantes realizam um ato público na manhã deste domingo (8), contra o Projeto de Lei 5069, de 2013, criado pelo Deputado Federal Eduardo Cunha. A PL prevê entre outras coisas, mudanças no conceito de estupro e interferências no direito das mulheres. A Sociedade Civil Organizada foi a responsável pelo ato, que teve convacação por meio das redes sociais. A concentração saiu da Escadinha do Cais da Estação das Docas, às 9h e encerrou por volta das 12h30, na Praça da República.



Para Luana Farias, do Movimento Ruas Juventude anticapitalismo o protesto também é em defesa do estado laico e do direito da mulher em decidir sobre o seu corpo. "Nós estamos aqui pra falar para o Eduardo Cunha sobre o artigo 5º da Constituição Brasileira, o Brasil é laico e nós [mulheres] fazemos do nosso corpo o que quisermos", protesta.


Protestos
A última vez que o presidente da câmara, Eduardo Cunha esteve em Belém foi em maio deste ano para participar de uma audiência pública organizada para discutir o pacto federativo e a reforma política. A presença de Cunha na cidade gerou transtornos no trânsito próximo ao prédio da Federação da Agricultura e Pecuária do Pará (Faepa), onde o evento foi realizado.

Por conta do bloqueio policial, houve congestionamentos nas imediações da entidade agropecuária que sedia o evento. Sindicalistas estacionaram um carro de som em frente ao edifício para criticar o presidente da Câmara. O peemedebista, no entanto, não chegou a cruzar pelos manifestantes. Ele ingressou no prédio por uma entrada lateral.

G1