13 de mar de 2016

O Brasil pede a saída de Dilma Rousseff e de Lula



Manifestantes tomam neste domingo as ruas de 16 estados e do Distrito Federal para protestar contra o governo da presidente Dilma Rousseff. Em Brasília, a estimativa da PM é de que 100 mil pessoas ocuparam a frente do Congresso, número superior ao de manifestantes nos protestos ocorridos em 2015. No Rio, os organizadores falam em 1 milhão de participantes, mas a PM informou que não vai se pronunciar. Alagoas, Bahia, Espírito Santo, Goiás, Maranhão, Minas Gerais, Mato Grosso do Sul, Pará, Pernambuco, Paraná, Rondônia, Rio de Janeiro, Rio Grande do Sul, São Paulo, Santa Catarina e Tocantins também têm manifestações. Entre as principais bandeiras dos manifestantes, estão o impeachment da presidente e o fim da corrupção. O ex-presidente Lula, investigado pela Operação Lava-Jato, também é alvo dos manifestantes. Por enquanto, as manifestações foram pacíficas e não houve confrontos entre manifestantes pró e anti-Dilma.

Em Brasília, integrantes de movimentos anti-Dilma chegaram a vetar que políticos subissem no carro de som, mas Bolsonaro discursou. No Rio, manifestantes rejeitaram a participação de políticos. A multidão reagiu com gritos de "Sem partido!" e vaias, quando organizadores instaram parlamentares que estivessem presentes a se apresentar e discursar. Depois que os manifestantes protestaram contra a partidarização do ato, organizadores disseram que o movimento defende uma causa, não um partido, mas ressaltou que era importante pressionar os políticos a votar a favor do impeachment no Congresso. 

Além do impeachment, os manifestantes pediam a prisão do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva e protestaram contra a possível nomeação de Lula para algum ministério.

Com informações da Agência O Globo